• 9 a 14 de julho 2018 - Leiria

    Na vanguarda da tecnologia

    Junta-te a uma aventura de cinco dias pelo mundo da tecnologia de ponta e da inovação, conhecendo a realidade das indústrias de topo e da investigação científica.

SOBRE

  • Se gostas de estar sempre a par das últimas tendências tecnológicas, esta semana é ideal para ti!

    O Leiria-in promete uma semana cheia de atividades ligadas à robótica e ao mundo da indústria, em várias áreas. O programa é muito variado, vais poder fazer Workshops, visitas a empresas, ir à piscina, à praia, fazer caminhadas e muitas outras atividades.

    A Leiria-in decorre em Leiria entre 9 e 14 de julho de 2018.

    A tua participação é gratuita, só tens de te inscrever e depois serás informado se foste selecionado.

    A Semana Leiria-in decorre entre 9 e 14 de julho de 2018.

    Leiria In bloco1

    50 estudantes do Ensino Secundário ou Profissional

    Leiria In bloco2

    Leiria-In 2017
  •  

    Leiria-in 2018

    Já te inscreveste? Só temos 50 lugares!

    Inscreve-te Já!

     

Notícias

  • Leiria-in 2017!

    Já te podes inscrever na Leiria-in 2017 a Semana da Indústria.
    Como sabes, só 50 felizardos é que terão a oportunidade de participar nesta semana fantástica, em julho de 2017, com tudo pago e de certeza que não queres ficar para trás.

  • No Leiria-In, a sirene tocou para a saída

    No quinto e último dia do Leiria-In, a realidade empresarial voltou a estar em destaque, juntamente com engenharia e a robótica.

  • A arte do fabrico e da ciência

    Passado entre Alcobaça, Leiria e as Caldas da Rainha, o quarto dia do Leiria-In incluiu workshops, visitas a empresas, orientação e até música.

  • Leria-In: a Indústria em movimento

    Movimento foi a palavra de ordem do terceiro dia do Leiria-In. Uma dúzia de empresas visitadas, um peddy-paper e uma corrida nocturna constituíram o saldo final.

  • Um dia entre o vidro e a água

    O segundo dia da academia Leiria-In passou pela Marinha Grande, com visita incluída ao Mariparque, na praia da Vieira. As histórias de vida que compõem a indústria e o artesanato ligado ao vidro e aos moldes também estiveram em destaque.

  • Leiria-In: Academia da Indústria em funcionamento

    Arrancou hoje a academia Leiria-In. Feita a receção, foi o património da região que esteve em destaque. Quando se dirigiu aos 50 participantes do Leiria-In, o Vice-Presidente do Instituto Politécnico de Leiria, Rui Pedrosa, confessou contornar o protocolo. "Quero começar por convocar uma salva de palmas para estes estudantes que estão cá de corpo e alma para aprender".

  • Leiria-In termina e o futuro começa

    Como não podia deixar de ser, o final da grande semana dedicada à indústria contou com um momento de despedida. Mas houve ainda tempo para uma visita a uma empresa, interagir com robôs e carros telecomandados, bem como dar um salto até à praia.

  • Na vanguarda da tecnologia

    Como são feitas as porcelanas, workshops de artes e a tecnologia de amanhã com ainda tempo para orientação e Tunas. Foi assim o quarto dia da Leiria-In. A manhã começou com uma viagem até Alcobaça para visitar a fábrica de porcelanas SPAL.

  • Leiria-In: o dia das empresas

    O terceiro dia da Leiria-In chegou em força com novas empresas para conhecer, um peddy paper e até uma caminhada noturna.

  • O futuro está na indústria

    Dos moldes aos vidros, passando pelos plásticos o segundo dia da Leiria-In arrancou em cheio. Os 50 jovens tiveram a oportunidade de entrar a fundo no tecido empresarial da região de Leiria e descobrir tudo sobre o funcionamento das diferentes indústrias.

  • Leiria-in 2015 já está On

    50 jovens de todo o país chegaram hoje a Leiria para uma semana repleta de atividades e diversão, tudo à volta da indústria. O programa do Leiria-In começou com uma sessão de boas vindas.

  • No fim da linha de produção

    A Leiria-in chegou ao fim num dia cheio de atividades e emoções. Pela manhã visitámos a DRT, uma empresa de moldes de alta tecnologia.

  • Uma viagem a outra dimensão

    No penúltimo dia da nossa aventura em Leiria, vimos muitas coisas novas desde a tecnologia de ponta à indústria artesanal. De volta à Marinha Grande, pela manhã, fomos visitar o Centro para Desenvolvimento Rápido e Sustentado do Produto do Instituto Politécnico de Leiria(IPL).

  • Sempre a andar no Leiria-in

    O terceiro dia desta semana dedicada à indústria foi sempre a caminhar, de manhã até ao deitar. Pela manhã, fomos divididos em onze equipas para sermos “empresários por um dia”. Ribermold, Famolde, TJ Moldes, Moldoeste, Iberomoldes, Planimolde, Tecnimoplas, Foz Moldes, Erofio, DRT e Arfai receberam-nos de braços abertos para percebermos qual a rotina daquelas unidades industriais.

  • A indústria é muito mais do que aparenta

    No 2º dia da “Leiria-in” fomos até à Marinha Grande conhecer várias empresas de topo e para a tarde estava reservada uma atividade de muita diversão.

  • «Leiria-in» já arrancou!

    50 jovens de todo o país encontram-se em Leiria para cinco dias cheios de atividades relacionadas com o mundo da Indústria.

O futuro está na indústria

Dos moldes aos vidros, passando pelos plásticos o segundo dia da Leiria-In arrancou em cheio. Os 50 jovens tiveram a oportunidade de entrar a fundo no tecido empresarial da região de Leiria e descobrir tudo sobre o funcionamento das diferentes indústrias.

Gallo Vidro, KLC, Tecnifreza e Crisal foram as quatro empresas que hoje de manhã abriram as suas portas para dar a conhecer aos participantes da Leiria-In um pouco da realidade dos seus sectores. José Rei acompanhou os jovens nas visitas e em representação do IPL referiu que "gostávamos que os jovens conhecessem a nossa região, as oportunidades da mesma e que pensassem em Leiria como uma opção de futuro em termos de estudo e quem sabe até a nível profissional". Inês Coelho, da KLC, guiou o grupo pela visita à empresa de plásticos por onde se foram vendo peças conhecidas do dia a dia como a estrutura plástica de um rádio para autómovel. O objetivo era que ficassem a perceber como é que uma empresa da indústria dos plásticos opera e até esclarecer algumas dúvidas que os jovens tenham quanto ao que seguir.

Na Gallo Vidro os participantes puderam assistir a uma palestra sobre a atividade da empresa e a sua evolução. O responsável pela composição e fornos destacou que 80% da produção é exportada, acrescentando que no mercado globalizado o custo e o serviço são fatores diferenciadores. No sector dos moldes, os jovens puderam visitar a Tecnifreza. A responsável da empresa Magda Leal, que conduziu a visita, destacou que a indústria dos moldes "é uma área que tem muito para crescer" e portanto espera que com esta visita os jovens tenham ficado a ponderar uma carreira nesta área. Na Crisal, empresa do sector dos vidros, os jovens equiparam-se a rigor para visitar todos os pontos da fábrica, da receção da matéria prima ao empacotamento do produto final, passando pela zona dos fornos. Arlindo Duarte, responsável pelos Recursos Humanos da empresa, destacou o valor de os jovens "aproveitarem as férias para estes eventos, para verem a relação entre as instituições de ensino e o tecido empresarial e para alargarem o seu conhecimento, o que os pode ajudar na escolha futura de uma carreira".

Ainda antes do almoço houve tempo para visitar o CENTIMFE, Centro Tecnológico da Indústria de Moldes, Ferramentas Especiais e Plásticos. O CENTIMFE é uma ponte entre o ensino tecnológico e a indústria, para além de funcionar como uma associação de várias empresas é também o local onde os estudantes de cursos profissionais ou superiores podem obter uma aprendizagem mais prática antes de integrarem as indústrias. Por entre máquinas de impressão 3D e laboratórios especializados, Rui Soares do CENTIMFE, afirmou esperar que a visita tenha deixado nos jovens "a semente para que mais tarde possam seguir esta via mais tecnológica".

À tarde o grupo dos jovens pôde visitar o Museu do Vidro que inclui um atelier no qual se pode ver ao vivo os artesãos a trabalharem peças de vidro e a exposição "Esculpir o Aço", uma coleção que fará parte do futuro Museu da Indústria dos Moldes. Para o final da tarde estava reservado um momento de diversão no Mariparque, o parque aquático da Praia da Vieira.

O dia passado no concelho da Marinha Grande terminou no Edifício Resinagem. O presidente da Câmara Municipal da Marinha Grande, Álvaro Pereira, recebeu os jovens e deixou-lhes a dica de que "em toda esta zona há necessidade de quadros altamente qualificados. Lutem por isso porque o tempo de vos mandarem emigrar já está a acabar." Rui Pedrosa, vice-presidente IPL, também marcou presença na sessão e agradeceu à Câmara da Marinha Grande por ajudar a tornar possível esta iniciativa. Numa palestra intitulada "A vida de um industrial" Joaquim Martins, administrador da Famolde, empresa de moldes, falou aos jovens da sua experiência como empresário e como presidente da Cefamol durante oito anos.

A que é agora uma das maiores empresas de moldes da região começou nos anos 80 a partir de uma garagem. Nos anos 90 já crescia 18% ao ano uma situação de sucesso única na altura para uma empresa que não recebia fundos comunitários. Hoje Joaquim Martins diz que o cliente mais recente da Famolde "trabalha connosco há 20 anos". A terminar a sua apresentação, Joaquim Martins, deixou aos jovens o conselho de que "a vida pode ser mais difícil ou menos difícil conforme nós a construirmos. Ter sucesso dá trabalho mas vale a pena e para ter sucesso é preciso ter princípios." No final o presidente Álvaro Pereira entregou a Joaquim Martins, em nome da Câmara Municipal da Marinha Grande, uma biografia do poeta Afonso Lopes Vieira da autoria de Cristina Nobre.

Lido 30 vezes