Leiriain

                 parceiros 01 IPL  FORUM ESTUDANTE
CML CMMG NERLEI ADAE CEFAMOL
Home

Leria-In: a Indústria em movimento

Enviar por E-mail Versão para impressão PDF

3leiriain9

Movimento foi a palavra de ordem do terceiro dia do Leiria-In. Uma dúzia de empresas visitadas, um peddy-paper e uma corrida nocturna constituíram o saldo final.

Depois das visitas à fábricas de vidro da Marinha Grande, no início dia de ontem, esta quarta-feira arrancou com outra das indústrias mais representativas da região: o setor dos moldes. 

Durante toda a manhã, os participantes do Leiria-In foram divididos em pequenos grupos que visitaram 12 empresas: Ribermold, Tecnimoplas, TJMoldes, Iberomoldes, Planimolde, Fozmoldes, Moldoeste, KLC, Vipex, Piasgal, Marto e ainda Lismolde, em Porto de Mós.

Recebendo um grupo de cinco visitantes, a desenhadora de moldes da Fozmoldes, Filipa Gameiro, explicou que o objetivo da visita se centrou na mostra “do dia-a-dia da nossa empresa”, de forma a “incentivar os alunos a apostarem na área dos moldes”. “Esta é uma área que está a crescer e em constante desenvolvimento”, acrescentou.

3leiriain8

Para a engenheira, seria positivo que as escolas nacionais ajudassem neste incentivo, uma vez que “existe uma falta de trabalhadores qualificados na área específica dos moldes”. No caso destes jovens, justificou, o conhecimento de todas as fases do processo de produção trará “a compreensão do processo global e o estímulo do gosto por esta área”.

Simultaneamente, na empresa TJ Moldes, a gestora de sistemas, Dulce Santos, reforçou a importância de se compreender a relevância de adquirir competências nesta área. “Este é um setor que precisa de ténicos qualificados que trabalhem fora do gabinete e mexam nas máquinas”, sublinhou, concluindo: “é essa a mensagem que queremos transmitir com conhecimento do processo produtivo”.

3leiriain7

A rota dos saberes

Depois de almoço, o desafio foi múltiplo. Espalhados pelas instalações da Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de Leiria (ESTG/IPL). Foi a dimensão da escola, bem como o facto de se dividir por vários edifícios, que levou a ESTG a tomar esta opção, explica Raquel Martins, do Gabinete de Imagem desta escola.

3leiriain6

Segundo explicou Raquel Martins, o objetivo é que os estudantes passassem por cada edifício, encontrando em cada um deles um desafio que remete para o trabalho ali realizado. Nesse sentido, esta é, sobretudo, acrescentou, “uma forma divertida de conhecer a escola”. Línguas, engenharias, matemática ou gestão foram algumas das áreas representadas.

3leiriain5

Ainda antes do jantar, uma técnica da Politécnico de Leiria apresentou aos estudantes a oferta formativa deste instituto politécnico, esclarecendo os participantes quanto a dúvidas relativas ao acesso ao ensino superior e aos apoios oferecidos pelo IPL, da ajuda financeira aos serviços de saúde.

3leiriain

Correr Leiria à Noite
À noite, os cinquenta jovens participantes do Leiria-In puderam ainda juntar-se ao Brisas Leiria Night Running – iniciativa que coloca, semalmente, a população a cruzar a cidade, em ritmo de corrida ou caminhada. Depois de um aquecimento com recurso à dança, os estudantes aventuraram-se pelas ruas da cidade, numa caminhada que se alongou por cerca de duas horas.

3leiriain2